Transforme Sua Apresentação em um Curso Online

Sua experiência e expertise ganham projeção quando aplicadas em um curso online. Sua apresentação pode conectar e ajudar muitas outras pessoas neste formato.

Foi pensando em você, profissional liberal, empreendedor ou que esteja migrando para o digital que escrevi este artigo. Aqui apresento os 5 passos para trazer do presencial para o digital seu conhecimento e expertise transformado em curso online.

Em cada passo, você identificará uma teoria e uma prática que caracteriza a transição do presencial para o digital. Fique atento a cada etapa para monitorar o processo de construção do seu curso.

1.    Do Presencial ao Digital

Profissionalmente, você pode ser chamado a fazer alguma apresentação  para algum grupo, ou mesmo ensinar aos colegas algo que você saiba, que seja experiência sua.

Só que estar cara a cara com o participante ou com as pessoas que te assitem faz uma grande diferença. Ter habilidade de falar em púbnlico, conectar-se com as pessoas, apresentar suas ideias…. para o presenical tudo isso é muito importante.

Entretanto estar no presencial não prepara você de forma efetiva para o que acontece no universo digital.

E sabe por quê?

No presencial, a reação da assistência é um termômetro para o que fazemos. Identificamos pelo olhar, pelos movimentos corporais, pela forma como tencionam os músculos da face, se eles estão entendendo o que está sendo dito, se faz sentido.

No digital, essas reações tornam-se uma incógnita. Não sabemos exatamente o que esperar dos participantes de um curso online.

Por isso não posso simplesmente dizer que basta  você pegar sua apresentação e gravar um vídeo sobre o tema. OU ainda você pegar sua apostila ou manual e replicar para o digital…. Qualquer uma destas ações pode acabar gerando um efeito reverso. E vou te dizer o porquê.

No digital, precisamos fazer uma entrega bem ‘redondinha’. Teoria e prática bem casadas. Usar uma linguagem dialógica. O material deve conversar com o participante do seu curso, independente do formato em que o curso será veiculado. E isso é apenas um dos pontos.

É preciso que você esteja atento.

O formato digital veio para ficar e se expandir. Tanto no ensino formal, informal, quanto corporativo.

As tecnologias da comunicação e da informação associadas às tecnologias educacionais fizeram com que a educação sem distância se tornasse uma realidade. Entretanto é necessário que você saiba fazer um bom uso do formato.

Quero que você esteja preparado para fazer seu curso online. Levar suas apresentações e todo o seu conhecimento, expertise e práticas para o online em apenas 5 passos.

2.    Da Apresentação ao Passo #1

Você possui uma apresentação de slides. Certo?! Se sua resposta é negativa, pode ser que tenha as anotações de sua palestra, ou até mesmo rabiscos sobre seus processos.

Este é seu ponto de partida, para fazer o levantamento do seu tema e dos temas relacionados a este. Estes são assuntos que você deve dominar (para poder montar o seu repertório)… afinal terá que construir materiais para seu curso.

Você primeiro deve selecionar o material que você já tem para transformá-lo em um curso online. E pensa comigo, este material é aquele com o qual você já está acostumado a trabalhar. Você vai selecionar agora tudo aquilo que faz sentido ser colocado num mesmo pacote. E depois vai organizar de forma sistematizada.

A sequência inicial de conteúdos é a base da estrutura do seu curso. Segura essa sequência temática aí que vamos ao PASSO#1.  É neste ponto que colocamos em prática o MODELO IDEIA.

3.    Passo #1 – Mapas e Segmentação

O MODELO IDEIA norteará a produção e a implementação do curso, desde sua concepção até sua validação final. O importante é você se lembrar que cada passo, assim como em um projeto, precisam ter início, meio e fim.

E que dentro de cada passo, você vai rever o que deve ser feito, o que foi feito na prática e o que precisa ser ajustado para uma próxima vez.

Na INVESTIGAÇÃO (PASSO#1), você faz o levantamento do contexto.

Inicialmente sua proposta foi montada para um determinado público. Sua ideia inicial é manter o foco neste perfil de público? Este é o momento de fazer o mapeamento do seu nicho, a identificação da concorrência local e digital (para destacar o seu diferencial) e a segmentação do perfil do público, construção do Avatar.

Consiga omaior número de detalhes para colocar neste mapeamento.

Assim, você aumenta sua chance de você acertar a linguagem e os recursos a serem usados na produção direta do seu curso online. Evite manter-se somente nos dados demográficos e situacionais. Vá atrás dos dados culturais e comportamentais. Eles podem dizer muito sobre esta pessoa. Levante as expectativas destas pessoas em potencial.

Mapeie dores, desejos, problemas, prazeres. Qual a solução que você dá e para quê? Seu conhecimento preenche qual lacuna deste público.

Aproveite que é neste ponto que você vai identificar requisitos, restrições, recursos necessários e fazer um estudo rápido da viabilidade do projeto (Você tem os recursos necessários para colocar seu curso no ar?).

4.    Hora de fazer o DESENHO

Fazer o desenho do curso é o ápice do processo do PLANEJAMENTO. É quando você estrutura a matriz do curso, usando o material que você já selecionou e os perfis identificado.

É aqui que você detalha todos os conteúdos, o formato e a mídia em que serão produzidos, o objetivo com o qual serão disponibilizados e as atividades que deverão fazer com que o participante pratique tudo o que está sendo entregue a ele.

E como você vai saber que funciona?

Antes de produzir o curso, você vai colocar em prática a distribuição de conteúdos gratuitos para que possa testar os formatos de entrega do seu curso com o público que você pretende alcançar. O objetivo da entrega preliminar de conteúdos gratuitos em diferentes formatos é evitar o retrabalho.

Neste PASSO#2, o DESENHO é pensado nas informações geradas para o perfil específico e para o nicho. E claro que é neste momento que vem à tona qual é a promessa do seu curso online.

Todo curso tem uma promessa, ou um perfil de egresso (como preferir chamar). E você deve imprimir maior coerência, consistência e aderência à promessa do curso. Para aumentar esta consistência e coerência, vale sempre trazer referências externas, seja de livros, filmes, artigos… que dê embasamento para o que você produz.

5.    Seguir em frente Passo#3…..#4

Chamo sua atenção para a etapa CENTRAL do Modelo IDEIA – a EXECUÇÃO. Chegar neste ponto só é possível se o DESENHO foi construído com detalhes.

Certamente que você conseguiu alinhar a estrutura do curso, adequar a linguagem, os exemplos, as atividades e os textos complementares, a partir do público com o qual você escolheu atuar.

Agora é colocar a mão na massa e produzir.

É no PASSO#3 – EXECUÇÃO que você define os materiais hipertextuais e hipermidiáticos. Constrói os roteiros com foco nas mídias em que devem ser produzidos. Produz os conteúdos em diferentes mídias e formatos. Realiza pesquisas com o participante potencial.

As pesquisas levarão você aos testes iniciais em andamento….

É na IMPLEMENTAÇÃO que se coloca à prova o que foi construído, testado e avaliado. É do PASSO#4 que saem os ajustes finais, para que o seu curso online possa ser aberto ao público geral. Sendo que todo o processo somente ocorre em harmonia se a AVALIAÇÃO foi implantada enquanto parte do processo. Inerente a todas as etapas e a cada uma das ações.

No PASSO#3, você executa a PRODUÇÃO…. e no PASSO#4 você realiza o curso em si (turma piloto) para ajustes dos conteúdos e materiais ao público inscrito. Validação das atividades quanto ao alcance dos objetivos propostos e da conexão com a realidade do participante.

6.    Avaliação

O PASSO#5 acontece em processo. A avaliação da produção deve acompanhar cada etapa e cada detalhe implementado em cada uma das etapas, sendo referenciada como acompanhamento e monitoramento.

Esta AVALIAÇÃO de cada ação prevista dentro do Plano de Ação é que garante a redução dos erros e a efetividade de cada ação.  Cada ação é um encadear contínuo dentro do processo de produção que acontece como em uma esteira. Se alguma coisa não for feita quando deveria ser… já era.

Neste ponto, você define os parâmetros de qualidade de produção. E faz a validação final do curso.

Só fique atento para não confundir a avaliação da produção com as avaliações internas e de reação do seu curso… Aí é outra história.

7.    Ajustar e Rodar

Terminada a aplicação do Modelo IDEIA, você aplica a REPETIÇÃO.

Você faz os ajustes. E coloca seu curso online para rodar.

Abre as vagas. Determina se fará turmas ou se sua oferta será continuada. Define os valores, garantias, formatos de entrega, prazos…

Aqui você cuida da gestão da sua oferta. Elabora e-mails, constrói um funil e faz suas inscrições acontecerem. Não se iluda que tudo acaba quando o curso entra no ar.

É exatamente a partir daqui que você deve ficar atento para colher depoimentos na hora certa, garantir que seu participante saia satisfeito, antes que ele chegue até o final do curso.

Não espere o momento ideal, comece a testar seu conteúdos e ajuste sua oferta.Faça do seu curso online uma solução que queira ser adquirida e que realmente resolva um problema.

Então comece sem demora! Se já está com sua Apresentação em mãos venha colocar em prática o que escrevi neste artigo.

Clique Aqui e realize o planejamento do seu curso.